Pergunte ao especalista

Em Foco

Meditação pode ajudar a minimizar efeitos colaterais da esclerose múltipla

08/10/2010


Pessoas que passaram por oito semanas de treinamento reduziram efeitos de fadiga, depressão e melhoraram a qualidade de vida


De acordo com uma pesquisa conduzida por pesquisadores da Universidade de Basel,
 na Suíça, meditação " mindfulness" pode ajudar portadores de esclerose múltipla
 (EM) a controlarem a depressão, a fadiga e outros desconfortos que acompanham a doença.

O estudo foi publicado na última edição do Neurology, jornal médico da Academia Americana de Neurologia.

De acordo com a investigação, as pessoas que passaram por oito semanas de treinamento em meditação mindfulness
reduziram a fadiga, depressão e melhoraram a qualidade geral de vida, em relação às pessoas com esclerose múltipla
que só receberam o atendimento médico usual. Os efeitos positivos puderam ser notados em seis meses.

"As pessoas com EM frequentemente devem enfrentar desafios especiais da vida relacionados à profissão,
segurança financeira, atividades recreativas, sociais e relações pessoais, para não mencionar os temores
diretos associados aos sintomas físicos e incapacidade, atuais ou futuros", disse Paul Grossman, líder do estudo.
" Fadiga, depressão e ansiedade são consequências comuns da EM".

Ele ressalta, ainda, que "infelizmente, os tratamentos que ajudam a retardar o processo da doença podem ter pouco
efeito direto sobre a qualidade de vida dos cidadãos. Assim, todos os tratamentos complementares, que podem melhorar
 rapidamente e diretamente a qualidade de vida são muito bem-vindos".

Para o estudo, 150 pessoas com EM leve a moderada foram aleatoriamente designadas para o treinamento de meditação por
 oito semanas, enquanto outras receberam apenas os cuidados médicos habituais para a doença.

A classe focou-se em exercícios físicos e mentais que visam o desenvolvimento da consciência sem julgamento do momento
presente ou atenção. O treinamento incluiu aulas semanais com duração de duas horas e meia, mais um dia inteiro de retiro
 e 40 minutos por dia de trabalhos de casa.

"A EM é uma doença imprevisível", afirmou Grossman. "As pessoas podem ter um mês ótimo e depois ter um ataque que pode reduzir
sua capacidade de trabalhar ou cuidar de sua família. A formação de uma consciência pode ajudar as pessoas com esclerose múltipla a
lidarem melhor com essas mudanças. O aumento da atenção na vida diária também pode contribuir para uma sensação mais realista de
controle, bem como uma maior valorização de experiências positivas que continuam a fazer parte da vida".

Os participantes no programa de meditação mindfulness apresentaram boas taxas de escolarização (92%) e relataram altos níveis
de satisfação com o treinamento. Além disso, poucas (5%) desistiram do curso antes da conclusão. Aqueles que passaram pelo
programa melhoraram em quase todas as medições de fadiga, depressão e qualidade de vida, enquanto aqueles que receberam cuidados
médicos habituais apresentaram ligeira queda. Os benefícios da formação ainda estavam aparentes seis meses após término do treinamento.

Fonte: Isaude.net

Outras Noticias