Pergunte ao especalista

Em Foco

Saúde - Doenças infecciosas e parasitárias é a maior causa de morte em todo o mundo

18/04/2011

Você sofre de dor de cabeça crônica ou, sua boca se enche de aftas com freqüência? Saiba que estes são sintomas comuns de um parasito, a Giardia Lamblia. Já as Amebas são responsáveis, desde depressões severas, até doenças tidas como incuráveis: lúpus, artrite reumatóide e esclerose múltipla.
 
Estudos recentes no Canadá asseguram que 100% dos portadores de câncer têm a Fascíola intestinal humana (Fascíola Buski), só que localizada no fígado, ao invés do seu habitat natural, o intestino. Toda verminose é tóxica. Num primeiro momento, se manifesta como uma ligeira perturbação digestiva, à qual, normalmente, não se dá muita importância e até, acaba por se acostumar. Mas, o que é pior, as pessoas se tornam tão viciadas no desconforto, quem nem percebem as mudanças, para o lado negativo, que lhes vão ocorrendo. Fator agravante é que o desgaste gerado pelo conjunto de sintomas representa um enorme redutor da qualidade de vida, levando em conta que, qualquer tipo de infestação parasitária conduz a disfunções, tanto no trato digestivo, como a sintomas pulmonares e, até, psiquiátricos.

De acordo com Dra Emília Pinheiro, terapeuta ortomolecular e especialista na Dieta do Tipo Sanguíneo, mal-estar, dor de cabeça, vertigem, desconforto e fraqueza, podem ser sintomas de parasitos e leva a moderada, dores articulares, reflexos lentos, letargia, mãos muito desajeitadas, pupilas sempre dilatadas, taquicardia, secreção excessiva de saliva, dentes rangendo.  “Definitivamente, parasitos não trazem sensações boas”, diz.

A higiene, a medicina, a química e a tecnologia avançaram muito, mas, doenças infecciosas e parasitárias continuam sendo a maior de causa de morte em todo o mundo. Para a especialista, sempre que se tem uma doença dessas é porque o organismo foi tomado por uma multiplicação de “criaturas” vindas de fora ou, presente em nós há muito tempo e que, encontrando condições de se desenvolver além do aceitável, acabam nos ameaçando a vida. “Impossível evitar vermes, vírus, bactérias e outros bichos porque eles estão em todos os lugares e nós somos seu alvo natural”, conta.

A terapeuta, também autora do livro "Dieta Pelo Tipo Metabólico e Sanguíneo", alerta a necessidade de estar atento a alguns sintomas:

No trato digestivo podem causar sensação de ardência no estômago, arrotos, gazes intestinais, indigestão, várias evacuações pequenas em vez de uma grande ou, fezes esfaceladas, diarréia, alternando com prisão de ventre, entre outros.

Sintomas psiquiátricos incluem memória ruim, pensamentos confusos, inquietação, agitação contínua, constrangimento, timidez excessiva, insônia, agitação noturna, depressão, apatia, angústia, opressão no peito, ou seja, sensações que roubam a alegria de viver.

Os sintomas pulmonares, dependendo do tipo de parasito, levam ao derrame pleural e abscesso pulmonar, pneumonia difusa, infiltrações pulmonares pequenas, tosse, hemoptise, e ainda, a toda perturbação respiratória sem causa aparente.

Parasitos consomem tecidos, sangue, outros fluidos e o conteúdo intestinal do hospedeiro, incluindo secreções digestivas. Concentra-se nos intestinos, no sangue, na medula óssea, no baço, no sistema nervoso central, nos pulmões, no fígado e árvore biliar, nos olhos, na pele, e em qualquer lugar quando, por alguma razão, não conseguem completar o ciclo e tornar-se vermes adultos.

Segundo Dra Emília, fazer exames de fezes laboratoriais, muitas vezes resulta num diagnóstico “falso negativo” e, apenas um “negativo” não significa ausência de vermes. “Seria necessário repetir o exame, pelo menos três vezes, com intervalos de 7 a 10 dias, e com quatro métodos de exames, para conferir que realmente, não há mais sua presença”, explica.

Ela acredita que seja essencial que, em primeiro lugar, se dê à devida importância ao assunto, já que, os vermes são as causas de muitos sintomas que podem ser facilmente, confundidos com outras doenças. “É indispensável, também, averiguar corretamente, em que parte do corpo está concentrado, para que o problema possa ser rapidamente corrigido. Após a devida desparasitação, torna-se necessário um acompanhamento posterior para a completa desintoxicação do organismo, repetição de exames, se necessário, e revitalização do intestino, aponta.

A especialista em Dieta do Tipo Sanguineo orienta a não deixar os parasitos chegar à fase adulta, já que, se tiverem tempo suficiente, se instala no aparelho digestivo. “Sob o ponto de vista de suas preferências por tipos sanguíneos, eles parecem ter especial predileção pelos aparelhos digestivos dos indivíduos dos Tipos “A” e “AB”, imitando, quase sempre, o antígeno sanguineo de tipo “A” para escapar à detecção. Há evidências ainda, que estes dois tipos sanguíneos são mais predispostos às complicações geradas por cistos amebianos instalados no fígado, se tomando como exemplo as Amebas, parasitos bastante comuns”, revela.

O parasito Giardia Lamblia, presente na água, segundo Pinheiro, tem forte atração ainda, por estes dois tipos de sangue, sendo eles seus alvos prioritários, em relação aos outros tipos sanguíneos. Já a Tênia, solitária, e o Ascaris Lombricóides, além dos Tipos “A”, também costumam parasitar, com mais freqüência, os tipos “B” sanguíneos, já que muitos dos germes parasitas assemelham-se a estes dois grupos de sangue. E, como indivíduos do Tipo “AB” possuem peculiaridades dos Tipos “A” e “B”, elas são também, especialmente suscetíveis a este tipo de parasitação.

Com a entrada do outono e chegada do inverno, indivíduos tipos “O” e “B”, devem tomar cuidado com a bactéria Estreptococos. Sua infecção provoca, normalmente, coriza, tosse, dor de ouvido, placas brancas ou amarelas na parte posterior da garganta, além de outros sintomas. “Esses Tipos sanguíneos adquirem infecções por esta bactéria mais facilmente que os dos Tipos “A” e “AB”, devido às suas predisposições genéticas a todo o tipo de vírus. Por outro lado, também, se curam mais rápida e completamente, ao contrário destes que, quando atingidos, são mais sujeitos à sua recorrência, além de demorarem mais tempo a sarar”, conclui a especialista na Dieta..
 
Mais informações: Livro "Dieta Pelo Tipo Metabólico e Sanguíneo" - Ed. Unicorpore    A venda pelo site www.unicorpore.com.br ou  pelo e-mail emilypinheiro@uol.com.br. Em Portugal, o mesmo título, pela Ed.Ariana, a vendas nas maiores livrarias do país.
 
Contato para imprensa:
Salles & Associados - Maria Emília Salles
Fones:(11) 2441-9612 /  7409-4482
Dra. Emilia O. G. Pinheiro - Terapeuta ortomolecular,  especialista e pioneira, no Brasil, da Dieta do tipo sanguíneo
Clínica Spasso Urbano - Day Spa e Clínica Ortomolecular (Maringá e Curitiba / PR)
Fones: (44) 3305-9582/ 3305-9592

FONTE: O NOTICIADO

Outras Noticias