Pergunte ao especalista

Em Foco

Saiu na mídia

15/04/2009

Na edição de domingo , dia 5 de abril pp, o jornal O ESTADO DE SÃO PAULO publicou ampla reportagem sobre as terapias com células tronco . Mais uma vez este assunto é ventilado de maneira objetiva , chamando a atenção para o risco que pacientes com doenças crônicas , inclusive a esclerose múltipla , estão expostos . Há inúmeros relatos na internet de sucesso deste procedimento , realizado por vários médicos , inclusive em Pequim. Já comentamos anteriormente que não há por ora nenhum relato científico que comprove os resultados divulgados, portanto são meramente especulativos e experimentais. As indicações deste tratamento sequer foram estabelecidas . O artigo descreve claramente as diversas fases de pesquisa clínica determinada há muitos anos pela comunidade científica não contempladas por estas terapias até o momento. Deve-se diferenciar estas do transplante autólogo de células tronco, na qual o procedimento utiliza células hematopoiéticas do próprio paciente ( células adultas) , cuja indição esta definida: pacientes com esclerose múltipla que não respondem aos tratamentos convencionais ( imunomoduladores e imunossupressores ) e que não estejam restritos à cadeira de rodas.

Os imunomoduladores disponíveis e distribuídos pelo Sistema Único de Saúde são injetáveis . O CATEM e as empresas farmacêuticas mantém enfermeiras treinadas para atender os pacientes , tanto na aplicação , como no monitoramento durante o tratamento. Este serviço é gratuito e indíspensável para manter a adesão dos usuários ao tratamento., O SUS não teria condições de manter tal atendimento, portanto esta ação destas enfermeiras é vital. Na edição do dia          , o jornal O ESTADO DE SÃO PAULO comenta , em amplo artigo, o fornecimento de desconto fornecido a pacientes mediante contato destes com determinadas empresas por meio de cartão fornecido pelo mèdico.

Queremos ressaltar que o neurologista ao sugerir para seu paciente contato com a empresa, fornecendo dados cadastrais da mesma, não aufere nenhuma benécia , seja pecuniária ou por meio de brindes ou outras vantagens. Obviamente, como os imunomoduladores são fornecidos gratuítamente pelas Secretarias de Saúde , não hã também para os pacientes nenhum benefício além da assistência na utilização dos imunomoduladores.

Outras Noticias