Pergunte ao especalista

Em Foco

ABREM -

21/05/2009

Botucatu tem sua Associação de apoio ao portador de Esclerose Múltipla. A ABREM – Associação dos Portadores de Esclerose Múltipla de Botucatu e Região, fruto da luta de Cyra Cassetari, advogada, engajada na luta, e hoje vice-presidente da associação.

 A associação foi montada em 2003 e o que se mantém firme, desde então, é a falta de apoio por parte da Prefeitura de Botucatu. Os laboratórios, por sua vez, comparecem com algum suporte, mas insuficiente para um trabalho mais consistente ao paciente EM. A atividade semanal que congrega pacientes e cuidadores, atualmente, é um o encontro às 5ª.feiras, para confecção de trabalhos manuais.

 Durante algum tempo a associação promoveu a Equoterapia. Este tipo de terapia representou grande ajuda para os portadores EM, que tem no contato com o animal, no trote e no galope, ações que auxiliam a musculatura. Mas a Equoterapia teve fim, pois as verbas minguaram e a ABREM não tem ajuda regular.

 Com relação à medicação, Cyra informa que, como existe um universo de 30 pacientes filiados à ABREM, cada qual com sua medicação, o melhor foi centralizar o recebimento e distribuição da medicação na UNESP, que é o centro de referência para EM na região.

 Cyra Cassetari diz que já conversou com pessoas na Prefeitura em várias ocasiões. A sua avaliação é de uma total falta de interesse por parte dos envolvidos com a Saúde e, por isso, prefere apelar somente em casos pontuais, como condução para algum evento ou terapia. Apoio sistemático nunca conseguiu.

 Em termos de voluntariado, a ABREM está bem defasada. Apenas uma mãe, cuidadora, ajuda na Associação em momentos de necessidade. Como se percebe por este breve relato, a ABREM necessita de suporte, por parte da iniciativa privada e do poder público, para conseguir realizar sua função junto aos portadores de esclerose múltipla.

 

 

Outras Noticias