Pergunte ao especalista

Em Foco

Brasileiro acha que esclerose múltipla é doença de idosos

01/06/2013

Uma pesquisa divulgada às vésperas do Dia Mundial da Esclerose Múltipla (29) mostra que quase metade dos brasileiros não sabe o que é a doença e, entre os que acreditam saber, 64% erram ao mencionar "perda de memória e esquecimento". Além disso, a maior parte da população acha que o mal afeta apenas pessoas mais velhas, o que não é verdade. A prova disso é o diagnóstico de celebridades como Jack Osbourne, filho do astro do rock Ozzy, e da atriz Cláudia Rodrigues.

O termo "esclerose" é popularmente usado como sinônimo de "miolo mole", o que talvez cause a confusão. O fato é que a esclerose múltipla causa principalmente perda de sensibilidade e tato, alterações visuais, fraqueza e falta de coordenação motora. E a faixa etária de maior prevalência é entre 20 e 40 anos, quando são feitos 70% dos diagnósticos - somente 4% dos brasileiros entrevistados sabia desse dado.

A esclerose múltipla afeta cerca de 2,5 milhões de pessoas no mundo. A doença é neurológica e autoimune – ou seja, se manifesta quando o organismo confunde células saudáveis do sistema nervoso central com intrusas, e as "ataca", provocando lesões no cérebro. O problema é mais comum no sexo feminino: a proporção é de três mulheres para cada homem.  Sua causa ainda é desconhecida, mas avanços têm feito a qualidade de vida dos pacientes melhorar muito.

A pesquisa sobre o entendimento da população brasileira sobre o que é esclerose múltipla foi encomendada pela farmacêutica Novartis. Foram entrevistados 1.000 homens e mulheres com idade a partir de 16 anos, das classes A, B, C, D e E. Os dados foram coletados entre 13 de março e 15 de abril de 2013.

Este ano, a Federação Internacional de Esclerose Múltipla lançou uma campanha com o objetivo de inspirar os jovens que convivem com os desafios da doença e ajudar na adesão ao tratamento. Jovens do mundo todo enviaram frases de incentivo, que foram publicadas no site da entidade (http://mymotto.worldmsday.org).

Fonte: UOL 

Outras Noticias