Pergunte ao especalista

Em Foco

MUITO SAMBA E MUITA LUTA PELA ESCLEROSE MÚLTIPLA

17/02/2014

ONG que luta pelos direitos das pessoas com Esclerose Múltipla faz parceria com grupo Sambô para conscientizar as pessoas a respeito da doença

Ela escutou a música e se identificou. Há dez anos com o diagnóstico de Esclerose Múltipla, sentiu a canção como uma mensagem de apoio. "Quando recebemos o diagnóstico e não conhecemos muito bem o que é a doença, achamos que recebemos uma sentença de morte, e isso não é real". Quem conta isso é Marcia Denardin, diretora de Comunicação e porta-voz da APEMSMAR, a Associação de Portadores de Esclerose Múltipla de Santa Maria e Região. Ao ouvir a canção "Um Dia de Sol", viu ali uma oportunidade de ajudar outras pessoas na mesma situação, por meio da arte.

Composta e gravada pelo grupo Sambô, a canção fala da relação de dois amigos, um querendo muito bem a felicidade do outro, que está distante e triste. "Muito disso, de sair de perto das pessoas, acontece quando recebemos o diagnóstico", conta Márcia. Ao escutar a música, a diretora da APEMSMAR resolveu entrar em contato com a banda para que a música "Um Dia de Sol" fosse tema da campanha para portadores de Esclerose Múltipla. "Aceitamos no mesmo momento", conta Gama, tecladista do grupo.

A parceria resultou em um clipe, disponível no Youtube (http://youtu.be/TCXajzb35iA) para as pessoas, principalmente os jovens, terem acesso e mais informação a respeito de uma doença ainda muito estigmatizada. No vídeo é possível ver um show especial do Sambô para membros da APEMSMAR e de outras associações similares. Muitos deles jovens, cheios de energia e alegria. O oposto do que o preconceito diz sobre a doença. Um dos principais objetivos de Márcia é justamente conscientizar os jovens a respeito da Esclerose Múltipla, pois o maior número de casos está nessa faixa etária. "Os sintomas podem passar despercebidos, pois podem ser realmente só de estresse da vida moderna. Por isso, o jovem pode não procurar atendimento médico", explica Márcia.

A demora na busca por ajuda pode provocar um diagnóstico tardio e, consequentemente, uma complicação no tratamento da doença. Por ser crônica, neurológica, autoimune e de causas desconhecidas, a Esclerose Múltipla ainda é um desafio para a medicina. Degenerativa, pode aparecer de repente e de várias formas. Manifesta-se quando o organismo confunde células saudáveis do sistema nervoso central com intrusas, e as "ataca" provocando lesões cerebrais. Os sintomas mais comuns são visão dupla, rigidez, fraqueza, falta de equilíbrio, dormência, dor, problemas no controle da bexiga e intestinos, fadiga, entre outros.

Pela severidade da doença é que lutas como a de Márcia Denardin e do grupo Sambô tornam-se necessárias. "Quanto antes tivermos o diagnóstico, melhor o resultado do tratamento. O público do Sambô atinge todas as idades, assim, além de dar um toque na garotada, já informamos e conscientizamos todas as gerações", resume Márcia. O vocalista da banda concorda. "Nos sentimos honrados em poder ajudar uma causa tão importante, principalmente para alertar sobre os sintomas, pois o diagnóstico precoce é fundamental para que a pessoa possa viver bem e com tratamento eficaz".

O Sambô sabe da importância da causa também por experiência própria. Há amigos e familiares da banda que possuem a doença. Para Márcia, atitudes como a do grupo fazem toda a diferença. "Não basta dizer 'que legal o trabalho de vocês'. Responsabilidade social, principalmente para pessoas públicas, que ditam moda, conceitos e opiniões é muito importante. Isso os rapazes do Sambô tem de sobra", conclui Márcia.

Sobre a APEMSMAR: A Associação de Portadores de Esclerose Múltipla de Santa Maria e Região (APEMSMAR) é uma ONG que defende os direitos dos portadores de Esclerose Múltipla. A ONG, idealizada pelo também paciente Antônio Luzardo há mais de quinze anos, promove diversas ações para pacientes e familiares, como encontros para a troca de ideias sobre o dia a dia da doença, atividades de reabilitação com fisioterapeuta, terapia ocupacional e assistência social. Os encontros são realizados todas as terças-feiras, às 09h30, no Prédio de Clínicas da UNIFRA (prédio 17), sala 506, localizado na Rua dos Andradas, nº 1250, em Santa Maria/RS. Mais informações sobre a Apemsmar podem ser obtidas pelo site www.apemsmar.blogspot.com.br, https://www.facebook.com/apemsmar.esclerosemultipla ou pelos telefones (55) 9931-4996 e (55) 3347-0549.

 

FONTE: http://www.segs.com.br/so-saude-segs/149157-muito-samba-e-muita-luta-pela-esclerose-multipla.html 

Outras Noticias